Search Icon
NetJets

Canções de champanhe

Som e música para melhor saborear
Ao entrar no avião, estará cheio de expectativas relativamente à viagem que está prestes a fazer. Talvez seja apenas uma curta viagem de negócios, ou uma viagem de lazer, mais longa. Qualquer que seja o motivo do seu voo, o tempo será dedicado a si, e proporcionar-lhe-á a oportunidade perfeita para descontrair com um copo do mais requintado champanhe.

Abre a garrafa, deleitando-se com o estalido da rolha ao saltar e o som delicado do vinho a fluir para o interior da flute gelada. O que haverá naquele som que desperta algo no seu íntimo?

O primeiro trago é sublime.

À medida que a altitude aumenta, o sussurrar ligeiro do motor acalma-o – este é mais silencioso do que qualquer outro voo que o tenha transportado – mas, com este champanhe, apetece-lhe ouvir música enquanto bebe. Talvez possa pôr música clássica para relaxar, ou jazz, mais alegre; sim, hoje apetece-lhe ouvir trompete, com Dizzy Gillespie, o seu músico favorito. Uma vez mais, as melodias que o rodeiam intensificam ainda mais esta experiência. Mas porque será?

Enquanto ouve os sons agudos da flauta de jazz, repara que o seu champanhe está com um sabor mais adocicado. O ritmo da música acelera, a flauta dá lugar aos sons mais profundos, metálicos, do trombone. Com isto, o seu champanhe, continuando delicioso, ganha um sabor mais acentuado, até mais ácido.

Maio de 2014. Charles Spence, professor de Psicologia Experimental na Universidade de Oxford, distribui copos de vinho aos participantes de uma experiência que visa averiguar se os sons em diferentes tonalidades afetam o modo como percecionamos o sabor. Os participantes percorrem o laboratório, bebendo dos seus copos e assimilando a série de sons e cores especialmente selecionados.
No fim, os participantes informam que os sabores mais adocicados surgem sobretudo juntamente com sons mais agudos e também com melodias de piano, assim como com música suave, fluindo em legato. Entretanto, os sons muito agudos e os ritmos rápidos são associados aos sabores ácidos, e as notas mais graves e metálicas a sabores amargos.

Estas conclusões confirmam o trabalho realizado por Spence no ano anterior, em que identificou que determinadas peças de música clássica influenciavam a experiência dos participantes ao beberem vinhos finos. Um aspeto digno de nota é o facto de o vinho branco ser mais apreciado quando bebido ao som do Quarteto com Flauta em Ré Maior de Mozart, enquanto um copo de vinho tinto combinou bem com o Quarteto de Cordas n.º 1 em Ré Maior, de Tchaikovsky. Para ambas as variedades, ouvir a música adequada aumentou o grau de desfrute geral dos participantes.

Mas Charles Spence não é o único investigador a estudar a ligação entre som e sabor. Em 2014, o Professor Barry Smith, codiretor do Centre for the Study of the Senses (Centro de Estudo dos Sentidos) da Universidade de Londres, falou à revista Women’s Health UK sobre a forma como o ruído - especificamente em aviões - pode manipular as nossas papilas gustativas.

“O ruído branco diminui a nossa capacidade para distinguir sabores básicos como doce e amargo”, declarou. “Os sons agudos, entretanto, fazem com que as coisas tenham um sabor mais doce, os tons mais graves (como o ruído do motor de um Boeing) acentuam a acidez a bordo de um avião”.
Parece então que o som pode efetivamente alterar a nossa experiência do sabor, mas com o silêncio repousante a bordo do seu jato Bombardier Global 6000, o mais silencioso da sua classe, não tem de se preocupar no que diz respeito ao sabor do seu champanhe.

Ao recostar-se ainda mais, o único som que consegue ouvir é o daquela flauta doce de jazz, a sua assistente de bordo a oferecer-lhe um canapé e o som das bolhas a dissiparem-se suavemente.

Explore as possibilidades

Temos a solução certa para os seus requisitos específicos em matéria de viagens. Torne-se hoje mesmo Cliente NetJets!
Solicite informaçãoChevron Right Icon
Phone IconContacte-nosChevron Right Icon
Unselected
Unselected
Os dados pessoais serão tratados, armazenados e utilizados de acordo com os termos da nossa política de privacidade. Pessoais Ao enviar este formulário você consente com este processamento .
+44 (0)207 361 9764

Ligue hoje mesmo e solicite uma consulta personalizada com um dos nossos especialistas em avião privada.

Para questões relacionadas com oportunidades de emprego na NetJets, por favor contacte